O boom da cachaça e o consumo dessa bebida no mundo

Postado por: Jardel Rodrim | 25-outubro-2017
o boom da cachaça

Uma boa parte dos apreciadores ou revendedores de cachaça não faz ideia da importância dessa bebida. Só para você ter uma ideia, hoje, mais de meio milhão de pessoas estão empregadas nessa indústria, e estamos prestes a viver o boom da cachaça.

E não é à toa: ela é o terceiro destilado mais consumido no mundo. Ou seja, o potencial de exportação da bebida é muito grande.

No entanto, é consenso entre exportadores — inclusive isso foi assunto de uma discussão recente no ExpoCachaça 2017 — que existe uma grande demanda no mundo por essa bebida tão brasileira, mas a oferta ainda não está à altura dessa demanda.

Aqui na Seleta, a cachaça artesanal líder de mercado no Brasil, esses números são vistos com muito otimismo. Afinal, a mensagem está dada: um mercado enorme mundo afora, ainda não explorado pelos produtores.

Alguns números sobre a exportação da cachaça

Hoje, podemos dizer que a cachaça tem uma situação, no mínimo, confortável no mercado brasileiro.

No entanto, o ideal é que esse conforto seja utilizado para estabelecer as bases para um salto mercadológico, e não para justificar uma estagnação de mercado. As condições favoráveis para o boom da cachaça ainda não são claros para muita gente.

Para expressar matematicamente essa realidade e compreender melhor a situação da exportação da cachaça, vamos ver alguns dos principais dados sobre o assunto:

  • Fora do Brasil, o país que mais consome cachaça no mundo é a Alemanha: os alemães importam mais de 2 milhões de dólares em cachaça por ano.
  • Os europeus, nossos principais compradores, não têm o hábito de beber cachaça pura, apenas de usá-la para fazer caipirinha.
  • Apenas 1% da cachaça produzida no Brasil é exportada.
  • 50% do volume da cachaça exportada é a granel.
  • No Brasil, o consumo da cachaça ainda é mal distribuído: 70% em bares e restaurantes e apenas 30% em outras localidades.
  • É a única bebida capaz de um boom no mercado internacional.

Fonte: CBRC — Centro Brasileiro de Referência da Cachaça. Dados de 2012.

Afinal, o que seria o boom da cachaça no mundo?

A origem das bebidas destiladas mais conhecidas da atualidade sempre foi local.

A vodca começou sendo consumida apenas pelos russos, a tequila, pelos mexicanos, o rum, apenas em Cuba e assim por diante.

Até mesmo o uísque, bebida tão cultuada pelo mundo hoje em dia, deu seus primeiros passos apenas entre os consumidores escoceses.

Todas essas bebidas tiveram seu momento de boom, isto é, de sair do seu mercado local e ganhar o mundo. E, hoje, a única bebida capaz de seguir esses passos, é a cachaça.

Os indícios de que isso está perto de acontecer já começaram. Em 2012, o então presidente Barack Obama reconheceu o Brasil como único país exportador dessa bebida para os Estados Unidos. A importância dessa decisão mostra que há mercado para a nossa cachaça no maior mercado consumidor do mundo: o norte-americano.

Como você deve ter percebido com a leitura deste artigo, motivos não faltam para o otimismo dos mais de meio milhão de pessoas cuja renda provém direta ou indiretamente do mercado da cachaça.

A Seleta já está cheia de orgulho e pronta para o grande boom da cachaça no mundo, que está prestes a começar!

Quer mais notícias como essa na sua timeline? Então curta a nossa página no Facebook e siga o nosso perfil no Instagram!